Domingo, 27 de Maio de 2012

# 25

depois de subir ao terraço para me drogar, tiro a t-shirt e fico deitado a ver pedaços de estrelas, as luas, boeings, mais toda a caralhosfera a ondular o monóxido continuamente peidado para fritar-me as trombas. um gato grande e laranja saído da tubulação começa a lamber a própria picha. visto a t-shirt. desço as escadas. na rua, em direcção à igreja, há poças enormes, fundas, cheias de lodo e areia. estou a dizer rua mas é, na verdade, uma estrada. da largura de duas champs-elysées (mas bifurcadas). nos prédios, quase em frente ao posto da Texaco, coquetéis e baboseiras e férias e regimentos de gajas a olhar, debruçadas. há pelo menos 4 por janela. elas, muito risonhas, ficam ainda mais curvadas quando eu passo. é o instinto, as cadelas sabem quem é que manda. até a joana d’arc, em chinon, reconheceu carlos VI quando ele estava baralhado no salão. paro na esquina. espero passar o auto-carro e atravesso. à direta, um barracão com um luminoso apagado a dizer “dancing”. em pé, ao lado da porta, alguns gajos estão a fumar um charro. conto-os... seis. a falar francés. tudo isto seria divertido com dinheiro, mas sem um caralho no banco tudo complica. o dia é sempre uma merda e depois de enxurradas de desfeitas compro um analgésico e dois coisos da Marvel para as dores de cabeça. subo à esquerda. duas merdas depois, uma gaja de tranças está a soprar uma corneta em frente a um cinema abandonado. um pistão tão pequeno que só deve ter 3 notas. de qualquer maneira dá uma impressão de música. ao lado, a bater palmas, um gordo muito prussiano. está sentado numa harley, a usar um capacete de ponta estilo guerra de 1914. usa botas, acho eu, não se pode ver. só enxergo um enorme torrão de lama nos pés dele e nas pernas, como botas. olho melhor... está cansado, pára de rir, ajeita-se na harley, chupa o bigode, as pontas, amarela e brancas. tudo bem. é preciso de tudo para fazer o mundo. e depois, com a agulha no braço, os sentimentos levantam acampamento. ficam só umas lembrancinhas a cobrir a cabeça com as saias levantadas.

O mais peor às 10:12
link do post | comentar